NOTÍCIAS
_______________________________________________________________________________________________

NacionaisInternacionaisRecortes de imprensa
LaborEMetodo_ExpoVirtual_CartazEntrada

MUSEU DA IMPRENSA
REABRE COM INOVAÇÃO

2425deabrilnoscortes

Exposição virtual
24/25 Abril nos Cortes

Galeria_ANTI_COVID19_Entrada

Humor mundial Anti-Covid-19

COVID 19

cartaz final - labor e método

Labor e Método, Oitenta e Oito Cartazes

manueldeoliveira_

Manoel de Oliveira no ‘Alameda’

Expo_CharlieChaplin_Alameda_fev2020_icon

PortoCartoon leva
Chaplin ao ‘Alameda’

XXPC_Amalia_1oPremio_Portugal_AntonioSantosSANTIAGU

PortoCartoon no Aeroporto (do Porto)
Caricaturas de Amália
assinalam centenário

XXIPC_PEC_FernaoDeMagalhaesnavioescola_icon

No Navio-Escola Sagres
PortoCartoon faz
“Rota Magalhânica”

Expo_DH_Alameda_CartazA4

PortoCartoon no Alameda
sobre DIREITOS HUMANOS

Museu da Imprensa faz parceria no México

imagem002

Portugal na FIL de Guadalajara

Centenário de Mandela com PortoCartoon em S. Paulo

Protocolo em Brasília

Salão de Humor Luso-Brasileiro

clubedejornalistas

Revista JJ. Clube de Jornalistas
            PortoCartoon, 20 anos
            Farol da democracia, bastião da liberdade

litorialmagazine

Litoral Magazine
            Caricaturas de Wolinsky em Aveiro

diarioaveiro

Diário de Aveiro
            Cartoonista do Charlie Hebdo
            com trabalhos expostos em Aveiro

nossojornal

O Nosso Jornal
            Imprensa Nacional
            abre exposição internacional de cartuns

rtp

RTP Internacional
            Palavra aos Diretores – Entrevista (Vídeo)

funchal_noticias

Funchal Notícias
            Wolinski: recordar quem morreu pelo cartoon

correiodoribatejo1

Correio do Ribatejo
            Correio do Ribatejo desafiado a criar pólo do
            Museu Nacional da Imprensa em Santarém

MUSEU DA IMPRENSA
REABRE COM INOVAÇÃO
LaborEMetodo_ExpoVirtual_CartazEntrada

O Museu Nacional da Imprensa (MNI)  vai reabrir as suas portas, no dia 18 de maio, com uma novidade: lançamento da exposição 88 Cartazes no ciberespaço.

Assim, a mesma exposição, do artista Jorge dos Reis, vai estar patente, fisicamente, no Museu, e virtualmente aberta a qualquer cibernauta, de forma interativa.

Esta é a primeira vez que o Museu promove uma ação com esta dupla natureza.

A exposição, que tinha sido inaugurada poucos dias antes da imposição do confinamento, é composta por, Oitenta e Oito Cartazes (1996-2020) é uma exposição e uma publicação, ambas divididas em onze núcleos, contendo um conjunto de cartazes, acompanhados por centenas de desenhos de processo, esquissos de descoberta projectual, tipos de letra, alfabetos tipográficos, desenvolvidos e aplicados nas oitenta e oito peças de design gráfico apresentadas.

Enquanto na Internet, os cibernautas poderão interagir com as diferentes peças, apenas no Museu terão hipótese de imprimir manualmente uma gravura alusiva à exposição. Em exposição está também o catálogo editado pela Caleidoscópio, com textos do curador da mostra, Adriano Rangel, do artista e do diretor do MNI, Luiz Humberto Marcos.

A relação do Museu com o espaço virtual começou no próprio dia da sua inauguração, em 1997. Na altura, o Presidente de República Jorge Sampaio lançou na internet o Museu Virtual da Imprensa, entidade autónoma, pioneira do setor à escala mundial. Desde então várias iniciativas virtuais têm sido criadas, designadamente no campo do humor com o Museu Virtual do Cartoon, lançado em 2004 na Internet, com a presença da Ministra da Cultura Isabel Pires de Lima e de Georges Wolinski.

Exposição _88 Cartazes

Refira-se que este tempo de confinamento marca a primeira vez em que o Museu Nacional da Imprensa teve de fechar as suas portas, deixando de poder cumprir aquilo que ficara definido na sua inauguração: ficar aberto 365 dias/ano. Esta singularidade, associada ao seu lema – o Prazer da Cultura – vai continuar a partir de 18 de maio. De resto, estarão patentes outras exposições permanentes do museu.

MAIS TRÊS EXPOSIÇÔES VIRTUAIS

Neste momento, o MNI tem em funcionamento mais três exposições virtuais: uma de humor sobre a COVID-19, no Museu Virtual do Cartoon – www.cartoonvirtualmuseum.org; outra no sítio do Museu – www.museudaimprensa.pt – na Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros e na Associação 25 de Abril, sobre a Censura ; e a terceira no Art Shop do centro comercial Alameda.

Exposição virtual
24/25 Abril nos Cortes
2425deabrilnoscortes

Vai ser inaugurada  no  dia 24 de abril a exposição virtual 24/25 ABRIL NOS CORTES, da responsabilidade do Museu Nacional da Imprensa (MNI), com o apoio da Associação 25 de Abril e da Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros.

A mostra evoca a “revolução dos cravos” de 1974 pelo lado dos mecanismos censórios que vigoraram em Portugal durante 48 anos (desde 1926) e que foram liquidados pelo Movimento das Forças Armadas.

São apresentadas cerca de quarenta exemplos de como o lápis azul foi transversal à rádio e televisão, aos livros, ao associativismo, ao cinema e teatro e à própria imprensa escrita.

A Censura estendeu-se até ao último dia da Ditadura de Salazar e Marcelo Caetano e as notícias sobre a própria revolta do 25 de Abril de 1974 foram alvo de cortes.

A mostra apresenta também alguns dos cartazes icónicos surgidos logo após a queda do Estado Novo, bem como textos alusivos à libertação e à esperança trazidas pelos “capitães de abril”.

A fechar a exposição, que tem a curadoria do diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, são apresentadas fotografias da presença dos ‘Capitães de Abril” Vasco Lourenço, Otelo Saraiva de Carvalho e Pezarat Correia, figuras emblemáticas da revolução, em momentos evocativos do “25 de Abril”. no MNI.

A exposição poderá ser visitada em www.museudaimprensa.pt.  Ficará patente até 30 de setembro.

Humor mundial Anti-Covid-19
Galeria_ANTI_COVID19_Entrada

O Museu Nacional da Imprensa lançou, no ciberespaço, uma galeria do PortoCartoon com mais de 500 desenhos sobre a pandemia do COVID-19.

Trata-se de um projeto iniciado há menos de duas semanas, com um convite dirigido aos cartunistas de todo o mundo.
Em pouco tempo, mais de 100 artistas enviaram 523 desenhos (até sábado).
São trabalhos recebidos dos quatro cantos do mundo: desde a China, India e Indonésia, à Colômbia, EUA e México, passando pela Rússia, Irão, Croácia, Alemanha, Itália, Espanha e Portugal, entre outros países. Até ontem, domingo, os artistas participantes superavam as trinta nacionalidades.
Esta nova galeria pode ser visitada no Museu Virtal do Cartoon www.cartoonvirtualmuseum.org,  entidade lançada na internet em 2004, na presença de George Wolinski, grande figura do humor gráfico mundial, assassinado  em 2015, no atentado contra o Chalie Hebdo, em Paris, e que durante vários anos foi presidente do Júri do PortoCartoon-World Festival.
COVID 19
Atendendo às recomendações da Direcção Geral de Saúde, informa-se que o Museu Nacional da Imprensa fica encerrado ao público, por tempo indeterminado. O Museu, habitualmente aberto 365 dias/ano (desde a inauguração em 1997), reabrirá ao público logo que esta situação se alterar.

Porto, 13 de Março de 2020

A Direcção

Labor e Método, Oitenta e Oito Cartazes
cartaz final - labor e método
Curadoria: Adriano Rangel / Edição: Caleidoscópio

Labor e Método, Oitenta e Oito Cartazes (1996-2020) é uma exposição e uma publicação, ambas divididas em onze núcleos, contendo um conjunto de cartazes, acompanhados por centenas de desenhos de processo, esquissos de descoberta projectual, tipos de letra, alfabetos tipográficos, desenvolvidos e aplicados nas oitenta e oito peças de design gráfico apresentadas. Os projectos transitam sem hierarquias em onze campos de trabalho temático, com diferentes proximidades e laços institucionais extensivos. Esta reunião de projectos foi possível graças a um trabalho sistemático de recolha e análise, iniciado já em 2011, no arquivo do atelier.

Texto Adriano Rangel  / Curadoria

Já em 2016 escrevia eu que Jorge dos Reis usava a liberdade criativa e a mestria de preencher os silêncios e os vazios das palavras-imagens. Este repertório, de 88 cartazes em exposição, são disso uma demonstração, construindo uma geografia visual a partir de uma gramática pessoal de design gráfico.

Como uma teia que se vai multiplicando, a partir de elos de ligação de formas simples que representam ideias complexas, para uma leitura confortável, mas inquietante. São história biográfica do seu repertório criativo entendido como uma constelação de formas que relaciona o subjectivo e o universal.

Mais parece uma grande caixa de ressonância onde ecoa muito pensamento de liberdade. Estas 88 obras, são uma antologia, uma nostalgia de liberdades da comunicação visual que, no sentido primevo, se reinventa.

Em meados de 1440, foi inventado na Alemanha um processo de impressão à base de tipos móveis, intermutáveis e reutilizáveis, que vieram a revolucionar o meio tradicional de transmissão de conhecimentos e ideias através da escrita, traçando uma linha claramente divisória, que virá a ser definitiva, entre a cultura manuscrita e a cultura impressa.

Esse formidável século fez coincidir na Europa dois processos fundamentais para a Cultura Ocidental — o Renascimento e a invenção da Tipografia. Hodiernamente há que entender estes dois acontecimentos como constituintes de um verdadeiro núcleo fundador do desenho gráfico moderno materializado em diferentes suportes gráficos que chegaram até nós.

Texto Luiz Humberto Marcos / Museu Nacional da imprensa

O design gráfico tem ganho, nas últimas décadas, um grande impulso e conquistou artistas de diversos ramos. Mais ou menos utilitário, abriu campos novos e ganhou adeptos bem fora das dimensões industrial e comercial.

No caso do design gráfico, a arte da imprensa – de livros, jornais e muitos outros impressos – não só não o dispensa, como tem nele a sua preponderante fonte de afirmação.

Neste contexto, a mostra de 88 cartazes tem um significado muito especial para o Museu Nacional da Imprensa. Não pelo número 88 – já de si a remeter para múltiplos infinitos – mas pelo acento da sua marca tipográfica e pela oportunidade. De resto, consta do projeto inicial do museu a criação de uma galeria dedicada ao cartaz. Em projeto, à espera do seu tempo.

Jorge dos Reis mostra bem, nesta expressiva exposição, que a sua mestria não é alheia às experiências de aprendiz de tipógrafo, quando ainda estudava nas Belas Artes de lisboa…

Aí sentiu a musicalidade dos tipos no caixotim e no componedor, o acerto das linhas, o ranger dos cavaletes, a importância do linómetro, etc. Todo esse mundo parece ter sido absorvido pelo jovem beirão, para desembocar na evidente matriz tipográfica que está incrustada no seu labor cartazístico. A marca do seu estilo está aí. Transcorre o seu percurso, desde os idos anos 90, quando fez os cartazes para o Museu Ferroviário (1997), até ao cartaz desta mesma exposição e à criação de novo espécimen tipográfico que leva o nome de Rodrigo Álvares, aquele que apelidamos de ‘gutenberg português’, desde a inauguração do MNI (1997).

Manoel de Oliveira no ‘Alameda’
manueldeoliveira_

Cerca de 40 caricaturas do cineasta Manoel de Oliveira (1908-2015) vão estar em exposição, no Alameda Shop  & Spot (Porto), até 31 de março.

A mostra, organizada pelo Museu Nacional da Imprensa, baseia-se no Prémio Especial de Caricatura dedicado a Manoel de Oliveira no XV PortoCartoon-World Festival.

20200306_184738

20200306_185215

20200306_185805

As obras pertencem a artistas de diferentes países, tais como Alemanha, Brasil, Colômbia, Espanha, Irão, Itália, Portugal, Suíça, Turquia e Ucrânia.

Foi precisamente com a figura de Manoel de Oliveira, juntamente com o Nobel José Saramago, que o MNI lançou um novo Prémio, em 2013, relacionado expressamente com a arte da caricatura.

Nesta linha, as escolhas subsequentes destacaram Nelson Mandela, Siza Vieira, Sara Sampaio, Chaplin, António Guterres, Pablo Picasso, Amália Rodrigues, Woody Allen, Bob Dylan e Fernão de Magalhães,  para serem caricaturadas por artistas de todo o mundo.

Esta mostra é acompanhada de alguns livros sobre Manoel de Oliveira e constitui mais uma homenagem do Museu Nacional da Imprensa ao cineasta que visitou por três vezes aquele museu e foi alvo de várias homenagens por parte da mesma instituição.

A exposição está Inserida num projeto singular que mantem uma galeria de cartoon, aberta permanentemente, num centro comercial. Neste âmbito, já foram apresentadas exposições do PortoCartoon sobre Cristiano Ronaldo, Sara Sampaio, Amália Rodrigues, Woody Allen, Siza Vieira, Chaplin e Direitos Humanos no Humor Mundial.

A exposição, comissariada pelo diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, está aberta todos os dias, na Galeria Art Spot (piso 2 do Alameda).

20200306_191223

PortoCartoon leva
Chaplin ao ‘Alameda’
Expo_CharlieChaplin_Alameda_fev2020_CartazA3

Quarenta caricaturas sobre o imortal cineasta Charlie Chaplin vão estar em exposição no Alameda Shop  & Spot (Porto), a partir do dia 1 de fevereiro.

A exposição está integrada no PortoCartoon World Festival (do Museu Nacional da Imprensa) e reúne trabalhos de caricaturistas de quarenta países, como Alemanha, Bolívia, Bósnia, Brasil, Canadá, China, Cuba, Egipto, Guatemala, Índia, Irão, Israel, Montenegro, Portugal, Roménia, Sérvia, e Uzbequistão, entre outros. Trata-se de parte do  resultado da seleção feita por um júri internacional a partir de centenas de trabalhos a concurso.

Comediante imortal da história do cinema – que chegou a ser proibido de retornar aos EUA, depois de uma viagem à Europa – Chaplin continua a encantar miúdos e graúdos em todo o mundo.

Esta mostra é acompanhada de alguns livros sobre Charlot, designadamente com fotografias dele com Einstein, Gandhi e Bernard Shaw, e está inserida num projeto singular que mantem uma galeria de cartoon, aberta permanentemente, num centro comercial. Neste âmbito, já foram apresentadas exposições do PortoCartoon sobre Cristiano Ronaldo, Sara Sampaio, Amália Rodrigues, Woody Allen, Siza Vieira e Direitos Humanos.

A exposição é comissariada pelo diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, e estará aberta ao público até 29 de fevereiro, na Galeria Art Spot (piso 2 do Alameda).

PortoCartoon no Aeroporto (do Porto)
Caricaturas de Amália
assinalam centenário
AmaliaRodrigues_Aeroporto2020_CartazA4

Mais de três dezenas de caricaturas sobre Amália Rodrigues vão estar patentes Aeroporto Francisco Sá Carneiro, a partir do dia 25 de janeiro, assinalando o centenário da diva do fado.

 

 Trata-se da primeira exposição do PortoCartoon montada este ano no aeroporto, e constitui uma forma de homenagear a fadista que muito contribuiu para a escolha do fado como Património Imaterial da Humanidade (UNESCO, 2011). Neste ano de 2020, celebra-se o centenário de nascimento de Amália Rodrigues e o Museu Nacional da Imprensa, através do PortoCartoon e em colaboração com a ANA-Aeroportos de Portugal, decidiu destacar a efeméride com o humor mundial.

Os desenhos fazem parte do Prémio Especial de Caricatura do PortoCartoon-World Festival, iniciativa que tem homenageado figuras nacionais e estrangeiras, como Mandela, Chaplin, Picasso, Bob Dylan, Woody Allen, Saramago, Manoel de Oliveira, Siza Vieira, Cristiano Ronaldo e Fernão de Magalhães, entre outras.

Amália Rodrigues atraiu o humor de cartunistas de vários países, como Argentina, Brasil, China, Colômbia, Cuba, Egipto, Espanha, Finlândia Índia, Irão, Itália, México, Perú, Polónia, Portugal, Roménia e Turquia. Por decisão do Júri internacional, o primeiro prémio foi conquistado pelo artista português António Santos-Santiagu, o segundo por Matias Montedoro (Espanha) e o terceiro por Aurélio Mesquita (Portugal).

A exposição tem a curadoria do diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, e releva, em boa parte das obras, o aparelho vocal e outras características da fadista.

Até final de março.

No Navio-Escola Sagres
PortoCartoon faz
“Rota Magalhânica”
XXIPC_PEC_FMagalhaes_1oPremio_Portugal_PRFerreira

XXIPC_PEC_FMagalhaes_2oPremio_Irao_RGhorbanian

Cerca de 20 caricaturas de Fernão de Magalhães vão acompanhar toda a viagem de circum-navegação do Navio-Escola Sagres, que sai de Lisboa, no domingo, dia 5, com regresso marcado para 10 de janeiro de 2021.

As caricaturas fazem parte do Prémio Especial de Caricatura Fernão de Magalhães, lançado pelo PortoCartoon-World Festival 2019, iniciativa do Museu Nacional da Imprensa. Apesar de ser restrito o espaço do navio, criaram-se as condições necessárias para dar a Magalhães uma segunda viagem, através do humor internacional.

Nas diferentes paragens desta simbólica viagem, os visitantes do ‘Sagres’ poderão apreciar as diferentes conceções e estilos com que uma vintena de artistas avalia a viagem do navegador português feita há 500 anos. A exposição patente no navio corresponde a uma seleção das dezenas de desenhos enviados por artistas de todos os continentes, designadamente do Brasil, Bulgária, China, Colômbia, Egipto, Espanha, Indonésia, Emiratos Árabes Unidos, Irão, Itália, Perú, Polónia, Portugal, Quénia e Rússia.

A mostra original é composta por quase uma centena de trabalhos e a sua itinerância começou em Vila Nova de Gaia, onde esteve patente, de junho a setembro, em articulação com aquela autarquia. Neste momento, outra exposição de caricaturas de Magalhães está patente na Galeria da Presidência do Conselho de Ministros.  Estas exposições têm a curadoria do Diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, e receberam a chancela da Estrutura da Missão das Comemorações do V Centenário da Circum-navegação.

Criado em 2013 para homenagear grandes figuras nacionais e internacionais, o Prémio Especial de Caricatura do PortoCartoon já contemplou nomes de relevo como Mandela, Chaplin, Picasso, Woody Allen, Bob Dylan, Einstein, Saramago, Manoel de Oliveira, Guterres, Siza Vieira, Cristiano Ronaldo e Amália Rodrigues, entre outros.

PortoCartoon no Alameda
sobre DIREITOS HUMANOS
Expo_DH_Alameda_CartazA4 Trinta cartoons, de artistas de vinte e três países, sobre os Direitos Humanos vão estar em exposição no Alameda Shop  & Spot, a partir do dia 2 de janeiro.

A mostra constitui uma oportunidade para celebrar os 70+1 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada pela ONU a 10 de dezembro de 1948, em Paris.

O tema tem sido abordado em diferentes ocasiões, designadamente em exposições nacionais e internacionais. Em 2018, com a “Rota do Humor pelos Direitos Humanos”, várias mostras estiveram patentes em diversos países, como Brasil, Espanha, Bolívia, Bélgica e México.

Esta exposição constitui uma forma de sublinhar a importância do cartoon como linguagem que contribui para a reflexão sobre grandes causas da humanidade e está inserida num protocolo celebrado entre o Museu Nacional da Imprensa e o Alameda.

No âmbito desta colaboração, já foram apresentadas exposições do PortoCartoon sobre Cristiano Ronaldo, Sara Sampaio, Amália Rodrigues, Woody Allen e Siza Vieira.

A exposição é comissariada pelo diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, e estará aberta ao público até 31 de janeiro, na Galeria Art Spot (piso 2 do Alameda).

Museu da Imprensa faz parceria no México
O Museu Nacional da Imprensa e o “Museo de la Caricatura” estão unidos desde 22 de novembro, através de um protocolo assinado na Cidade do México.

O acordo de cooperação foi oficializado pelo presidente da Sociedad Mexicana de Caricaturistas (entidade detentora do Museo de la Caricatura), Jesús Juan Terrazas Campos, e pelo diretor do Museu Nacional da Imprensa, Luiz Humberto Marcos, numa cerimónia simples, na sede do museu mexicano, em plena zona histórica, classificada pela Unesco como património cultural da humanidade.

A assinatura deste convénio foi testemunhada por Angel Bolígan, um dos cartunistas mais premiados do mundo, que já recebeu vários trofeus do PortoCartoon.

O protocolo visa “a cooperação no desenvolvimento de iniciativas conjuntas para o reforço dos laços culturais entre o México e Portugal, através da valorização da linguagem universal do humor”.

Fortalecendo o eixo do cartoon do MNI e ampliando a dimensão internacional resultante do PortoCartoon, serão promovidas exposições temporárias, estudos, conferências e debates sobre temas relacionados com a imprensa e o papel do humor na sociedade.

O Museo de la Caricatura está instalado no antigo Colégio de Cristo, renovado após o sismo de setembro de 1985. Em 1987, o edifício foi entregue à Sociedade Mexicana de Caricaturistas, com a condição de ser criado um museu para mostrar a história do México, através da obra de grandes caricaturistas.Este protocolo aumenta para 10 o número de convénios internacionais celebrados pelo MNI.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Portugal na FIL de Guadalajara
Humor sobre Gutenberg
no Museu da Imprensa

A exposição A “descoberta” e o riso, do Museu Nacional da Imprensa, vai estar patente na FIL Guadalajara 2018, de 24 novembro a 2 dezembro.

imagem002

A mostra sobre o ‘pai da imprensa’ apresenta cerca de meia centena de cartuns enviados ao PortoCartoon-World Festival.

Estão representados 17 países (10 europeus, dois da América Latina e três da Ásia) de grandes caricaturistas, alguns deles vencedores de importantes prémios internacionais.

Os cartoons ajudam a compreender a importância da “descoberta” da imprensa de caracteres móveis. Foi com ela que o livro começou a democratizar-se.

Através do humor patenteado na mostra, o Museu Nacional da Imprensa, organizador do PortoCartoon, pretende reforçar a multiculturalidade que faz parte da natureza do próprio festival, como ponte entre culturas, regiões e países.

Com esta exposição, cruzam-se duas linhas de um projeto museológico: a do “patrono” da imprensa, com a da linguagem universal do cartoon.

Durante a Feira Internacional do Livro de Guadalajara/2018, dedicada a Portugal, queremos estar presentes à distância de um clic.

Centenário de Mandela com PortoCartoon em S. Paulo

O centenário do nascimento de Nelson Mandela está a ser celebrado, em S. Paulo, com desenhos do PortoCartoon World Festival, de 25 de agosto a 14 de outubro.

Esta é uma das três mostras do festival do Porto que estão presentes no 45º Salão Internacional de Humor de Piracicaba, naquela cidade, que assim  assinala o 20º aniversário do PortoCartoon.

Os principais trabalhos do Prémio Especial de Caricatura Mandela, apresentado no PortoCartoon de 2014, integram a mostra do Casarão do Turismo de Piracicaba, cidade do norte de S. Paulo, com 400 mil habitantes, que organiza um dos certames de humor mais antigos do mundo. Entre as dezenas de caricaturas figura o 1º prémio atribuído a André Carrilho e os melhores desenhos de artistas da Alemanha, Irão, Brasil, Bulgária, Itália, Argentina, Croácia, Hungria, entre outros países.

Mandela_1ºpremio_portugal_Carrilho

Mandela_2ºpremio_Espanha_Turcios

Outra exposição corresponde ao tema Turismo, do PortoCartoon 2017, e está apresentada no Centro Cultural do Engenho, conjuntamente com as mostras principais do 45º Salão de Piracicaba.

GrandePremio_Belgica_LucVernimmen

A terceira mostra é alusiva às duas décadas do festival do Porto, organizado pelo Museu Nacional da Imprensa (MNI), e figura em painéis de grandes dimensões, espalhados pela Rua do Porto (do rio Piracicaba). Esta rua está sobredenominada de Rua do PortoCartoon e mostra 40 cartoons relativos aos grandes prémios e 2ºs prémios dos vinte anos do PortoCartoon, inaugurado em 1998, pelo presidente da República Jorge Sampaio.

Além dos 40 desenhos apresentam-se momentos da proclamação do Porto-Capital do Cartoon feita em 2008 e do roteiro do humor com a presença de artistas brasileiros e de outros países.

portocapitaldocartoon

Novo Protocolo

Esta iniciativa integra-se numa parceria que existe desde 2005, entre o PortoCartoon e o Salão de Piracicaba, baseada num protocolo assinado pelo Prefeito (presidente da Câmara) de Piracicaba e pelo diretor do Museu Nacional da Imprensa. Barjas Negri e Luiz Humberto Marcos assinaram, na inauguração do 45º salão, um novo contrato de parceria, visando o reforço das relações institucionais.

Refira-se que, neste momento, no âmbito da mesma parceria, está patente no Via Catarina (Porto) uma exposição de Piracicaba, inaugurada no dia 22 de junho, com a presença de Paulo Caruso, um dos nomes maiores do humor brasileiro, e de outros artistas.

As relações institucionais existentes desde 2005, entre a autarquia de S. Paulo e o MNI têm permitido a realização de várias exposições e outras atividades no Brasil e em Portugal.

Esta parceria foi abordada numa conferência de Luiz Humberto Marcos na Universidade de Anhanguera, no dia 20, e no programa Roda Viva da TV Cultura, no dia 23, em S. Paulo, durante o qual o diretor do MNI foi entrevistado por jornalistas e artistas do humor.

O PortoCartoon-World Festival tem o patrocínio de Banco Santander,  DRCN,  AEVP, Sandeman, IVDP,  DFJ, Câmara Municipal de Gondomar, Infraestruturas de Portugal, Metro do Porto, Centro Comercial Via Catarina,  Douro Acima, Divimagem, NaveprinterNorprint, ISMAI, Papelaria Sousa Ribeiro, Porto LazerInstituto Multimédia e os Media Partners JN, DN e Antena 1.

Protocolo em Brasília

O Museu Nacional da Imprensa e o Museu da Imprensa Nacional, de Brasília, estão unidos desde 3 de Dezembro, através de um protocolo assinado na capital brasileira.
Trata-se de um acordo de cooperação oficializado pelo director-geral da Imprensa Nacional, Fernando Tolentino de Souza Vieira e pelo presidente da Direcção da AMI e director do Museu Nacional da Imprensa, Luís Humberto Marcos.
O protocolo visa “a cooperação no desenvolvimento de iniciativas conjuntas para o reforço dos laços culturais entre o Brasil e Portugal, quer através da valorização do papel da imprensa e da sua história em geral, quer através do lastro da imprensa da Lusofonia”.
De acordo com a Cláusula nº 2, ambas as entidades “promoverão exposições temporárias, estudos, conferências e debates sobre temas relacionados com a Imprensa e as Artes Gráficas, de acordo com um plano periodicamente estabelecido e aceite por ambas as partes.Antes desta assinatura já tinha havido uma cooperação que deu lugar à reprodução de um prelo do Séc. XVIII que integra a exposição permanente do MNI e cuja réplica foi apresentada nas comemorações do bicentenário da imprensa brasileira, em Brasília.

Salão de Humor Luso-Brasileiro
As relações do Museu Nacional da Imprensa com Piracicaba vão ser intensificadas com a realização de um Salão de Humor Luso-Brasileiro. O futuro salão, de âmbito bienal, abrirá alternadamente em Portugal e no Brasil, podendo ainda fazer itinerância por outros países.
Esta iniciativa faz parte de uma carta de Intenções assinada, em Junho, na cidade do Porto, no âmbito do Protocolo de Cooperação firmado em 2005 no Brasil, pelo Prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, ex-ministro da Saúde do governo de Fernando Henrique Cardoso e pelo director do MNI e do PortoCartoon-World Festival, Luís Humberto Marcos.
Dando continuidade à excelente colaboração existente entre as duas entidades, o Museu Nacional da Imprensa compromete-se também a colaborar com a Prefeitura de Piracicaba na implementação e acompanhamento técnico-científico de uma Exposição Permanente de Desenho de Humor, nos mesmos moldes da Galeria Internacional do Cartoon, existente na sede do museu português.