NOTÍCIAS
_______________________________________________________________________________

Diretor do Museu apresenta livro “Quando Portugal Ardeu”, de Miguel Carvalho
Este sábado à tarde (20/05, 15h30), no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Santo Tirso, o Diretor do Museu apresenta o livro “Quando Portugal Ardeu”, do jornalista Miguel de Carvalho, grande repórter da Visão.
III Maratona Poética do Porto
O Museu Nacional da Imprensa vai assinalar as celebrações do Dia Internacional dos Museus, no dia 21 de maio, com a organização da 3ª edição da “Maratona Poética do Porto”, destinada a premiar o melhor dizedor de poesia.

Nesta iniciativa, que decorrerá das 14h30 às 19h, na sede do MNI, podem participar crianças, jovens e adultos, mediante inscrição prévia disponível no nosso sítio oficial. Aí poderão também consultar o Regulamento.

O melhor dizedor ou declamador será proclamado Vencedor da Maratona Poética do Porto e será premiado com um fim-de-semana para duas pessoas.

IIIMaratonaPoeticaDoPorto_CartazA4-1
“25 de abril” até maio
“Livros Proibidos” em Valongo e
“Cartazes de abril” em Pedrógão

Duas exposições alusivas ao 25 de abril de 1974 estão patentes até ao final de maio, no Fórum Cultural de Ermesinde, Valongo, e na Casa Municipal da Cultura, em Pedrógão Grande.

LivrosProibidos_Valongo2017_4No Fórum de Ermesinde pode visitar-se a exposição “Livros Proibidos na Ditadura de Salazar”, que apresenta, além dos livros, vários autos de apreensão feitos em livrarias de Portugal continental e das ex-colónias, como Timor, Moçambique e Angola.

Mário Soares, Manuel Alegre, António José Saraiva, José Cardoso Pires, Raul Rego, Jorge de Sena, Egas Moniz, José Afonso, Ary dos Santos, Fidel Castro, Sartre, Marx, Lenine e Darwin são só alguns dos autores cujos livros foram apreendidos e estão patentes na exposição.

“25 de abril em Cartaz” é uma mostra que apresenta uma seleção das centenas de cartazes que o Museu Nacional da Imprensa possui sobre o Movimento dos Capitães de abril. “A poesia está na rua”, de Vieira da Silva, e “O Povo e o MFA”, de João Abel Manta, são dois dos ícones gráficos expostos, que podem ser vistos na Casa da Cultura do Município de Pedrógão Grande.

Ambas as exposições inserem-se nas celebrações do 25 de abril de 1974 e estarão patentes até ao final do mês de maio.

25AbrilEmCartaz_PedrogaoGrande_3

Evocar o ‘25 de abril’ com ‘livros proibidos’
Exposição Museu da Imprensa em Valongo

LivrosProibidos_Valongo2017_1

Uma exposição com dezenas de “Livros Proibidos na Ditadura de Salazar” abre no dia 25 de abril (3ªfeira), às 15h30, no Fórum Cultural de Ermesinde, Valongo. Evocando o aparelho censório da ditadura de Salazar e Caetano, a mostra evidencia a importância do golpe militar do “25 de abril “ de 1974 .

Esta iniciativa do Museu Nacional da Imprensa é promovida pela Câmara Municipal de Valongo e apresenta, além dos livros, vários autos de apreensão feitos em livrarias de Portugal continental e das ex-colónias, como Timor, Moçambique e Angola.

Mário Soares, Manuel Alegre, António José Saraiva, José Cardoso Pires, Raul Rego, Jorge de Sena, Egas Moniz, José Afonso, Ary dos Santos, Fidel Castro, Sartre, Marx, Lenine e Darwin são só alguns dos autores cujos livros foram apreendidos e estão patentes na exposição.

 

 

O anúncio da morte do escritor Alves Redol n’O Primeiro de Janeiro, um texto de José Saramago no Jornal do Fundão, a entrevista a Aquilino Ribeiro no Jornal de Notícias, foram alguns dos artigos cortados na época e que também podem ser vistos no Fórum de Ermesinde.

Um dos documentos patentes na exposição mostra que em 1965 foram apreendidos em Angola, na Livraria Lello, vários exemplares do livro “Gabriela Cravo e Canela”, de Jorge Amado, cuja telenovela haveria de “parar” o país após o ’25 de abril’. Tudo o que se referisse a sexualidade, revolução, sindicalismo, liberdade, feminismo, estava sob a alçada repressiva da Comissão de Censura.

A exposição pretende mostrar ao público em geral a máquina destruidora do pensamento e da literatura que vigorou em Portugal durante a “ditadura de Salazar e Marcelo Caetano”.

Mais do que documentar os anos em que predominou a Censura, esta exposição visa chamar a atenção de todos para a importância da liberdade, reconquistada no 25 de abril de 1974.

A mostra ficará patente até ao dia 25 de maio, no Fórum Cultural de Ermesinde.

MarioSoares

PortoCartoon/Cristiano Ronaldo no “Estado de S. Paulo”
Estado S. Paulo

O grande jornal brasileiro “Estado de S. Paulo” dá relevo à exposição do PortoCartoon “Ronaldo em Caricatura”, patente no Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo.

A mostra é constituída por mais de 30 caricaturas do jogador, contando ainda com uma exposição virtual sobre CR7 e um rama tipográfica com composição manual. A somar a tudo isto, pode ler-se um poema alusivo à temática do futebol, da autoria do escritor brasileiro Ferreira Gullar, Prémio Camões 2010.

 

Esta exposição mostra duas das dimensões principais do Museu Nacional da Imprensa: a arqueologia tipográfica e a caricatura. Os desenhos, na sua grande maioria, fazem parte do Prémio Especial de Caricatura do XVII PortoCartoon-World Festival, organizado pelo MNI.

A mostra intitulada “Ronaldo em Caricatura” vai estar patente até ao dia 16 de abril no Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo.

O destaque dado pelo jornal “Estadão” pode ser visto aqui.

Museu da Imprensa aberto no fim de semana de Páscoa
Como já é habitual, o Museu Nacional da Imprensa terá as suas portas abertas no fim de semana de Páscoa, de sexta-feira (14) a segunda-feira de pascoela (17).

O público em geral poderá visitar as várias exposições patentes e imprimir nos prelos-relíquia textos e gravuras, das 14h30 às 18h30.

A exposição temporária “Guterres na Imprensa Mundial” ainda se encontra disponível para ser visitada, a par das mostras permanentes do MNI, das quais faz parte a maior coleção de miniaturas tipográficas do mundo. Outra exposição permanente intitula-se “PortoCartoon – O riso do mundo”, que contempla o eixo mais internacional da instituição portuense.

16.109.041

Refira-se que, neste momento, o MNI tem exposições temporárias sobre Cristiano Ronaldo patentes no Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo e em Cantanhede.

Além de apostar na descentralização cultural, o Museu Nacional da Imprensa distingue-se por ser o único da Europa aberto 365 dias por ano.

 

Cristiano Ronaldo e Sara Sampaio no Museu da Pedra
PortoCartoon em Cantanhede

Duas exposição de caricaturas de Cristiano Ronaldo e Sara Sampaio vão estar patentes, a partir de hoje  (07/04), sexta-feira, no Museu da Pedra/Casa da Cultura de Cantanhede.

IMG_20170405_171501

No seu conjunto, as mostras são constituídas por cerca de 120 caricaturas da modelo Sara Sampaio e de Cristiano Ronaldo, desenhadas por artistas de vários países. Os desenhos foram selecionados pelo Júri internacional do PortoCartoon-World Festival,  no âmbito de prémios especiais de caricatura. Além dos trabalhos premiados, as exposições apresentam todas as caricaturas finalistas, contemplando assim diferentes olhares humorísticos sobre as particularidades do jogador e da modelo.

Esta secção do PortoCartoon, organizado anualmente pelo Museu Nacional da Imprensa (MNI), teve início em 2013 com as figuras de Manoel de Oliveira e José Saramago. Nesta linha, as escolhas subsequentes destacaram, para além de CR7 e Sara Sampaio, Nelson Mandela, Siza Vieira, Hemingway, Chaplin e, na edição deste ano, António Guterres e Pablo Picasso. Neste momento, outras exposições, com caricaturas de Cristiano Ronaldo, também da responsabilidade do MNI, podem ser visitadas no Funchal, no Aeroporto da Madeira e na Biblioteca de Marvila, em Lisboa.

No Museu da Pedra, as exposições ficarão patentes até ao dia 4 de junho.

IMG_20170405_173438

Ronaldo em Caricatura no Aeroporto do Funchal
Mais de 30 caricaturas sobre Cristiano Ronaldo vão estar em exposição no Aeroporto da Madeira, que passará a ter o seu nome a partir de amanhã, dia 29 de março, na Cerimónia Oficial.

A mostra do Museu Nacional da Imprensa fará parte do evento inaugural, com início às 11h e que contará com a presença de Cristiano Ronaldo, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Primeiro-Ministro, António Costa, e do Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque. O Diretor do Museu, Luiz Humberto Marcos, bem como os caricaturistas António Santos (Santiagu) e Leandro Barea, participantes do PortoCartoon, também estarão presentes.

Cartoon de Leandro Barca Pernas (Espanha)

Cartoon  de Leandro Barea (Espanha)

XVIIPC_CRonaldo_MH_Brasil_Osvaldo Da Costa

Cartoon de Osvaldo Da Costa (Brasil)

Para além das caricaturas provenientes de países tão distintos como Bolívia, Brasil, Colômbia, Egito, Espanha, Finlândia, Irão, Nicarágua, Polónia, Portugal, Rússia e Ucrânia, haverá ainda uma exposição virtual sobre CR7 e uma rama tipográfica com composição manual. A somar a tudo isto, poderá ler-se um poema alusivo à temática do futebol, da autoria do escritor brasileiro Ferreira Gullar, Prémio Camões 2010.

Esta exposição mostra duas das dimensões principais do Museu Nacional da Imprensa: a arqueologia tipográfica e a caricatura. Os desenhos, na sua grande maioria, fazem parte do Prémio Especial de Caricatura do XVII PortoCartoon-World Festival, organizado pelo MNI.

A mostra intitulada “Ronaldo em Caricatura” vai estar patente durante 15 dias no Aeroporto Internacional da Madeira – Cristiano Ronaldo.

Manchetes e Humor D’ Ouro no Funchal
Homenagem a Cristiano Ronaldo

Cerca de 170 peças, entre jornais, revistas e caricaturas de várias partes do mundo integram a exposição sobre Cristiano Ronaldo, que abre amanhã, terça-feira, às 17h, no Teatro Municipal do Funchal.
Trata-se de uma homenagem da Câmara Municipal ao filho da terra (natural da freguesia de Santo António), no dia em que ele joga pela primeira vez na Madeira com a camisola das quinas, num ‘amigável’ contra a seleção sueca.

adrenalina_10_jan_2017

Capa do jornal “Adrenalina” (México)

A exposição, montada pelo Museu Nacional da imprensa (MNI), reúne dezenas de jornais com manchetes alusivas ao ‘melhor jogador do mundo’. México, Panamá, Singapura, Itália, França, Inglaterra e, naturalmente, Espanha são alguns dos países representados através das suas principais publicações, facto que singulariza esta mostra relativamente a outras que o MNI tem feito sobre CR7. Várias capas dos jornais desportivos portugueses, Record, A Bola e O Jogo estão também patentes na exposição.

Cartoon de André Carrilho (Portugal)

Cartoon de André Carrilho (Portugal)

Para além das manchetes internacionais estarão ainda expostas diversas caricaturas sobre Ronaldo, algumas das quais do PortoCartoon-World Festival, organizado pelo MNI. Os artistas representados são de países tão distintos como Alemanha, Brasil, Bolívia, Brasil, Bulgária, Colômbia, Egito, Espanha, Irão, Portugal, Quénia, Rússia, Tailândia, Turquia e Ucrânia.
O desafio está lançado: descobrir o melhor jogador do Mundo através do humor e jornais, na ilha que o viu nascer.

A exposição “Cristiano Ronaldo: Manchetes e Humor D’Ouro” ficará patente até ao dia 13 de abril.

Artista belga conquista Grande Prémio do PortoCartoon 2017
Português António Santos (Santiagu) recebe Prémio de Caricatura Guterres

O artista belga Luc Vernimmen é o vencedor do Grande Prémio do 19º PortoCartoon-World Festival, organizado pelo Museu Nacional da Imprensa e subordinado ao tema ONU 2017, O Turismo. A obra intitula-se “Sustainable Tourism”.

 

XIXPortoCartoon_GrandePremio_Belgica_LucVernimmen

Grande Prémio: Luc Vernimmen (Bélgica), “Sustainable Tourism”

O Segundo Prémio foi atribuído a Jitet Kustana, da Indonésia, com a obra “Sunbathing in the Beach” e o Terceiro Prémio pertence a Angel Boligán, do México.

A edição deste ano contemplou dois Prémios Especiais de Caricatura centrados em duas grandes figuras de relevo mundial: Pablo Picasso (1881-1973), em evocação da famosa Guernica (80 anos), e António Guterres (1949 -). Os vencedores foram, respetivamente, Dalcio Machado (Brasil) e António Santos – Santiagu (Portugal). Trata-se da primeira vez que um artista português conquista o 1º lugar dos Prémios Especiais de Caricatura do PortoCartoon, iniciados em 2013. Nesta mesma categoria, o 3º lugar foi atribuído a uma caricatura de outro português, Vasco Gargalo. Santiagu obteve, ainda, uma Menção Honrosa sobre Picasso e Vasco Gargalo foi, também, contemplando com uma Menção Honrosa no Tema Principal, assim como o artista português Aurélio Mesquita. O trabalho de Pedro Silva sobre Guterres conquistou uma Menção Honrosa.

XIXPortoCartoon_PEGuterres_1oPremio_Portugal_Santiagu

 1º Prémio Guterres: Santiagu (Portugal)

A elevada qualidade dos trabalhos levou o júri internacional a atribuir mais de 20 Menções Honrosas a artistas de países tão diferentes como Brasil, Itália, Rússia, Turquia, Espanha, Bulgária, USA, China, Polónia, Ucrânia, Sérvia, França, Irão, México, Egito e Índia.

Em apreciação estiveram mais de 1500 obras, de mais de 400 artistas, oriundos de 62 países distintos.

Brasil, Irão, Roménia e Portugal assumem-se como os países com maior participação.

Com esta 19ª edição, o PortoCartoon volta a reforçar o seu lugar no pódio dos certames internacionais de desenho de humor e mostra a pertinência da classificação do Porto com o ‘Capital do Cartoon’, atribuída em 2008.

O Júri internacional do 19º PortoCartoon teve como Presidente Honorário Georges Wolinski – cartunista do Charlie Hebdo assassinado em 2015, em Paris, e que durante uma década tinha sido presidente do Júri. Integraram o Júri 2017: Bernard Bouton (presidente da FECO), Inês Moreira (Faculdade de Belas Artes do Porto), Luiz Humberto Marcos (diretor do Museu Nacional da Imprensa), Roberto Merino (encenador) e Xaquín Marín (fundador do Museo de Humor de Fene, Espanha).

Os vencedores do 19º PortoCartoon receberão os troféus (desenhados por Siza Vieira) e os Prémios durante a cerimónia de abertura da exposição, que decorrerá nas instalações do Museu Nacional da Imprensa e noutros locais do Grande Porto, em junho.

XIXPortoCartoon_PEPicasso_1oPremio_Brasil_DalcioMachado

1º Prémio Picasso: Dalcio Machado (Brasil)

Protocolo em Brasília

O Museu Nacional da Imprensa e o Museu da Imprensa Nacional, de Brasília, estão unidos desde 3 de Dezembro, através de um protocolo assinado na capital brasileira.
Trata-se de um acordo de cooperação oficializado pelo director-geral da Imprensa Nacional, Fernando Tolentino de Souza Vieira e pelo presidente da Direcção da AMI e director do Museu Nacional da Imprensa, Luís Humberto Marcos.
O protocolo visa “a cooperação no desenvolvimento de iniciativas conjuntas para o reforço dos laços culturais entre o Brasil e Portugal, quer através da valorização do papel da imprensa e da sua história em geral, quer através do lastro da imprensa da Lusofonia”.
De acordo com a Cláusula nº 2, ambas as entidades “promoverão exposições temporárias, estudos, conferências e debates sobre temas relacionados com a Imprensa e as Artes Gráficas, de acordo com um plano periodicamente estabelecido e aceite por ambas as partes.Antes desta assinatura já tinha havido uma cooperação que deu lugar à reprodução de um prelo do Séc. XVIII que integra a exposição permanente do MNI e cuja réplica foi apresentada nas comemorações do bicentenário da imprensa brasileira, em Brasília.